“AH, MAS SE NÃO FOSSE PELA CORRUPÇÃO…”

cn-conversabar

– Viu só? Aprovaram a PEC que estabelece o teto de gastos da União. Agora a inflação do ano anterior servirá como limitador do orçamento público federal para o período seguinte. Parece interessante, pois o endividamento estatal desmesurado gera expectativa de aumento de impostos e trava os investimentos privados, além de obrigar o governo a demandar mais crédito dos agentes emprestadores para quitar suas despesas – pressionando para cima a taxa básica de juros, o que, por sua vez, também empaca a produtividade nacional e gera desemprego…

Ah, mas se não fosse pela corrupção, nem precisava nada disso. O Brasil é um país muito rico, e se não fosse pela roubalheira, haveria dinheiro para isso tudo e ainda sobrava…

– E os estados também vão precisar estancar a gastança desenfreada, se quiserem renegociar suas dívidas com Brasília. Já não era sem tempo, visto que doze deles já preveem significativos rombos em suas contas em 2017, e em alguns a situação é de calamidade financeira, com empregados públicos recebendo salários parcelados (a gratificação natalina ainda é um sonho distante para muitos) e empresas públicas sendo extintas…

Ah, mas se não fosse pela corrupção, nem precisava nada disso. O Brasil é um país muito rico, e se não fosse pela roubalheira, haveria dinheiro para isso tudo e ainda sobrava…

– Também foi apresentada a proposta de reformulação da Previdência Social, visando aliviar a transferência de recursos obtidos por meio de impostos para cobrir o déficit entre recolhimentos e pagamentos efetuados. Está longe do ideal, visto que somente a criação de fundos individuais para cada trabalhador poderia solucionar os problemas criados por este sistema em que uma geração da população economicamente ativa financia a próxima, mas é melhor do que permitir que, em breve, todo o Tesouro Nacional seja direcionado quase que exclusivamente para pagamento de aposentadorias…

Ah, mas se não fosse pela corrupção, nem precisava nada disso. O Brasil é um país muito rico, e se não fosse pela roubalheira, haveria dinheiro para isso tudo e ainda sobrava…

– Também há previsão de que, até 2018, ocorram 34 leilões de concessões e privatizações, incluindo ativos em rodovias, ferrovias, terminais portuários, mineração, geração e distribuição de energia e saneamento básico. Claro que poderíamos ir muito além e transferir para a iniciativa privada toda e qualquer atividade produtiva que por ela pudesse ser desenvolvida – e neste conceito entrariam, claro, a Petrobrás e dezenas de estatais criadas nos últimos anos, que representam prejuízos bilionários para os cofres públicos…

Ah, mas se não fosse pela corrupção, nem precisava nada disso. O Brasil é um país muito rico, e se não fosse pela roubalheira, haveria dinheiro para isso tudo e ainda sobrava…

– Michel Temer diz que a reforma tributária será foco do governo em 2017, no intuito de tornar menos complexa e pesada a carga de impostos a que são submetidas as empresas nacionais – sem mencionar que, ao fim e ao cabo, quem paga esses impostos são os consumidores que estão na última ponta da cadeia produtiva, e para quem são repassados todos os custos de produção…

Ah, mas se não fosse pela corrupção, nem precisava nada disso. O Brasil é um país muito rico, e se não fosse pela roubalheira, haveria dinheiro para isso tudo e ainda sobrava…

– Bom, já que você refuta a necessidade de toda e qualquer reforma sob este mesmo argumento, então podemos pensar em medidas que visem reduzir a corrupção no país, especialmente restringindo o escopo de atuação do estado na atividade econômica. Os políticos e funcionários públicos só se vendem porque possuem privilégios para oferecer em troca, correto? Ou seja, a intervenção estatal na economia, em todas as esferas da administração pública, por meio de suas regulações, isenções fiscais direcionadas, empréstimos concedidos com juros muito abaixo dos praticados no mercado e inúmeros contratos superfaturados, gera um terreno fértil para que corruptos e corruptores operem e façam suas negociatas acontecerem. Além disso, também se faz necessário punir com rigor os malversadores do dinheiro obtido junto aos pagadores de impostos, aplicando penas severas àqueles que, junto a empresários que preferem lucrar às margens do livre mercado, encheram os bolsos de propinas; um deles, por sinal, era Presidente da República até 2010…

Ah, mas se não fosse pela corrupçMAS HEIN?

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Anúncios

4 comentários sobre ““AH, MAS SE NÃO FOSSE PELA CORRUPÇÃO…”

  1. Caro BordinBurke,
    Após ler sua análise e meditar sobre os 300.000.000.000 de dólares parados nos USA, nos 2 TRILHÕES arrecadados em impostos e nos auferimentos de 500.000,00 anuais de juízes, no salário #ESPETACULAR da classe parlamentar, cheguei a conclusão de que nossa crise é MORAL, TÉCNICA E ESPIRITUAL !
    Nossa fé está no consumo e não na cidadania e é isso que condena a colônia feudal de Pindorama a essa PREZEPADA INSTITUCIONAL !
    Que vergonha, temos tudo e ao mesmo tempo, não temos NADA!

    Curtir

    1. Exato. É uma crise de valores mixada com a crença de que o Estado pode resolver nossos problemas – se entregarmos metade de tudo que produzimos na mão da classe profissional com maior incidência de criminosos. Não faz sentido. Abraço

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s